Margens do Rio Avelames

Margens do Rio Avelames

O rio Avelames é, de certo modo, uma parte do parque das Pedras Salgadas; contorna-o, confere-lhe uma forma e uma fronteira e abraça-o. A requalificação das suas margens – feita com a cooperação de um arquitecto paisagista e de um engenheiro hidráulico – propôs tornar o percurso do rio mais orgânico e, mediante a criação de diques, suprir a falta de água na época estival, que seca o seu leito.

Assim, as margens do rio deixaram de ser uma imposição resultante do encontro da água com o terreno circundante. O canal, que corria essencialmente a direito, passou a serpentear, moldando-se à imagem de uma cobra em movimento. Foram igualmente construídas pontes para que o percurso não fosse ditado pela existência de uma única forma de atravessar o rio e o que antes era um obstáculo, foi transformado numa possibilidade de usufruto.

A criação de lugares de travessia fez do caminho um passeio. Zonas de estar, de praia e pequenos embarcadouros pontuam as margens do rio, para fruição dos locatários do parque e da população da vila. A ideia que preside a todo o conceito, é resgatada da época do romantismo termal: famílias dispondo comida sobre impecáveis toalhas de linho branco, uma criança aprendendo a remar num pequeno barco amarrado à margem com uma corda, um par de banhistas adolescentes e ruidosos competindo pela chegada a uma meta imaginária.

Ano

2012 - 2015

Localização

Vila Pouca de Aguiar, Portugal

Área

33784 m2

Cliente

Câmara Municipal de Vila Pouca de Aguiar

Arquitectura

LuÍs Rebelo de Andrade, Raquel Jorge, Pedro Baptista Dias

Arquitectura Paisagista

Get Out

Engenharia Hidraúlica 

Sisidro

Projecto de Estruturas

Scarlety Engenharia

Fotografia

FG + SG - Fotografia de Arquitectura

Texto

Valério Romão